Sob pressão

Quando passei no vestibular pra estudar Direito, minha idéia era conseguir um estágio tão logo possível. E, de fato, em poucos meses eu estava empregada em um escritório de advocacia. Até então, minhas obrigações eram com a faculdade e os serviços de casa. Meus pais trabalhavam fora, então eu e meus irmãos ajudávamos com a limpeza e a comida.

Eu já tinha tido alguns trabalhos anteriormente, mas todos eram atividades simples e por um período curto. Dessa vez, eu podia dizer que estava oficialmente registrada em carteira. Eu fazia de tudo um pouco: desde atender o telefone na recepção até levar os processos trabalhistas aos Fóruns devidos, para ganhar experiência.

Nessa altura da minha vida, eu era uma pessoa tímida e que fugia de conflitos. Trabalhar sob pressão me causava dor de estômago e mal estar. Algumas vezes chorei escondido, por tomar broncas do chefe ou de outros advogados que apareciam no escritório. Esse era apenas o início de uma caminhada de amadurecimento e crescimento em autorresponsabilidade. 

Depois dessa fase, vivi uma temporada nos Estados Unidos, me casei com um norte-americano, fui esposa de pastor, tive três filhos, me formei em Pedagogia, morei na Califórnia e mudei para Portugal (estou resumindo aqui, rs). Em todos esses ciclos mencionados, a pressão não diminuiu mas continuou existindo, em menor ou maior grau.

E o que você quer dizer com tudo isso, Kati?  Quero dizer que a pressão na vida, é real. Talvez pra você ela é continua e não dá trégua. Mas saiba que ela pode ser boa e te lançar cada vez mais adiante. Sim, por mais que não gostemos de ser pressionados em nada, uma hora ou outra nos sentiremos assim. E o que você faz com isso?

 Aprendi que ao invés de reclamar e dizer: “eu não funciono sob pressão!”, “me deixa em paz”; eu canalizo a energia que vem com ela pra me lançar pra frente. 

Por exemplo, uma panela de pressão gira o seu pino quando está funcionando corretamente, e através da energia gerada ela vai cozinhar a sua comida. A pressão move as coisas! Um mar calmo nunca fez bom marinheiro, não é mesmo? Muitas vezes pra conseguirmos o resultado ou benefício desejado, passaremos por pressões que parecem nos querer esmagar, mas se entendermos para o que ela serve, desfrutaremos do que ela produz.

Publicado por katidawson

Esposa de David, mãe da Emily, Gabriel e Laura. Falo sobre lifestyle e desafios de um casamento transcultural e uma família internacional.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: